Como estar de Baixa ... SEM perder rendimento


Analisado o contexto atual, resultante do COVID-19, constatamos que, além da doença, um dos principais problemas a afetar as famílias será a PERCA DE RENDIMENTOS, com internamentos hospitalares e convalescenças, entre outras situações mais graves a que vamos estar sujeitos, e que até custa parafrasear.

Pensando no Pior, e naquilo que nós podemos fazer de Melhor, verificamos que podemos ajudar muitas pessoas.

Neste sentido vimos partilhar uma reflexão/solução que pode REDUZIR, “um pouco”, o impacto da redução de rendimentos no seio das famílias.

O objetivo não é substituir o salário, já que haverá Segurança Social a contribuir “em período de baixa por doença”, com um valor aproximado de 60%. O PROBLEMA RESIDE NOS RESTANTES 40%!! e no tempo em que podemos perder este rendimento.

É aqui que nós podemos ajudar!

Como?

## Através da proteção existente no mercado segurador.

O Nosso foco centrou-se no pior cenário, e para nós o pior cenário passa pela:
·      Hospitalização;
·      Convalescença, e;
·      Morte.

Ilustramos, em formato esquema, vários cenários de enquadramento, onde cada um pode rever a sua realidade, perante a idade, tendo em conta:

      (1) Capital para Morte
      (2) Capital para Hospitalização – subsídio diário de 25€ e 50€, até 365 dias
      (3) Capital de Convalescença - ITA-SAD, subsídio diário de 15€, 20€, 25€, 35€, 50€, até 180 dias


IMPORTANTE: Não é possível uma solução integrada com os 3 riscos. Podemos integrar o risco (1) com o risco (2), numa só apólice “Vida”, e o risco (3), passa por outro enquadramento, noutra apólice de “Acidentes Pessoais”.


Assim temos:

VIDA – (1) Morte e (2) Hospitalização

Cobertura Morte e um subsídio diário de Hospitalização, sem franquia, até 365 dias.




ACIDENTES PESSOAIS – (3) Convalescença

Traduz um Pack de coberturas, que além da cobertura de Morte e Invalidez por acidente, que para este contexto poderá não ser muito importante, permite um subsídio diário, com franquia de 14 dias, ié, pagam a partir do 15º dia, até 180 dias, desde que o segurado esteja de baixa médica por Acidente ou Doença.

Analise, no quadro seguinte, qual o subsídio diário necessário, para equilibrar a perca de 40% do seu salário mensal.  




Um bem haja e muita saúde, que vos permita ultrapassar o que aí vem.


Caso pretendam obter enquadramentos ajustados à vossa idade ou informação adicionais, p.f. preencher este formulário, por forma a privilegiar os meios eletrónicos. Obrigado.

Caso tenha crédito habitação, consulte também, como poupar com o seguro de vida do crédito habitação. 

Comentários