Aiiiiii…! Se o Cliente não Paga !!


A necessidade de realizar vendas, leva a que o empresário conceda crédito aos seus clientes em milhares de euros e, na maioria das vezes, sem segurança.

As generalidades das empresas protegem-se com seguros para a maioria dos seus ativos, nomeadamente: (i) instalações, (ii) equipamentos, (iii)  stocks, …, associados ao risco de exploração. E AS DIVIDAS DE TERCEIROS » CLIENTES !!!


Quanto pesa no ativo da empresa, o saldo de  – Dividas de Terceiros?

10%, 20% … da faturação anual !!!

E o risco de não recebimento, está coberto? 

E se o meu cliente, deixar de ter capacidade de me pagar por qualquer sinistro que lhe tenha acontecido! Falha de mercado, incêndio, falência dos seus clientes, …

Bem, é uma possível “doença”, que posso tratar por prevenção ou por reação.

O tratamento pela prevenção é “controlável”, já pela reação pode ser possível ou não, tudo depende da dimensão da “doença” e da capacidade do “doente” em reagir ao tratamento.

Quando o cliente não paga, os problemas imediatos para a empresa traduzem-se em:
  •          Falta de liquidez na empresa
  •          Degradação da margem de comercialização geral
  •          Esforço, “stress”, problemas internos e externos, para aumentar as vendas e compensar os prejuízos.

Prejuízo Anual de
Não cobrança de cliente
Vendas necessárias para cobrir o prejuízo, com margem de:
5%
10%
10.000€
200.000€
100.000€
20.000€
400.000€
200.000€
50.000€
1.000.000€
500.000€
100.000€
2.000.000€
1.000.000€

Podemos vender muito, mas contabilisticamente, se não recebermos, de nada serve.

QUANDO DEVE FAZER O SEGURO?

Novos mercados, novos clientes e a maior competitividade exigem uma maior atenção do fornecedor, forçado a correr mais riscos pela necessidade de conceder crédito.

As falências geram reações em cadeia, onde mesmo uma empresa financeiramente saudável é, rapidamente, afetada passando, também ela, a ter dificuldades de tesouraria.

Vale a pena pensar nisto! J

Consultor: José Maria Ferreira - ds.aveiro@decisoesesolucoes.com